quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Zwickau - Alemanha - Schumann

Principal Centro Comercial (Hauptmarkt)

 
Zwickau é uma cidade do leste da Alemanha, na região administrativa de Chemnitz, estado da Saxônia, distrito de Zwickau. Esta situada às margens do rio Zwickauer Mulde. Centro industrial, situado em uma região rica em minas de carvão. Entre seus produtos destacam-se compostos químicos, componentes elétricos, maquinaria mineradora, porcelanas e têxteis. De sua arquitetura, sobressaem a igreja de Santa Maria (século XV) e a porta de entrada da cidade (século XVI). Sua população, segundo estimativas de 1990, era de 115.700 habitantes.
Zwickau foi uma cidade independente (Kreisfreie Städte) ou distrito urbano (Stadtkreis) até 31 de julho de 2008, quando passou integrar o distrito de Zwickau.
 
Praça Schumann
 
Robert Alexander Schumann (8 de Junho de 1810, Zwickau, Alemanha - 29 de Julho de 1856, perto de Bonn, Alemanha) foi um músico e pianista alemão. Filho de um livreiro, August Schumann e Johanna Schumann. Como o seu pai era bibliotecário, Schumann, pode descobrir com facilidade a obra de Shakespeare, verdadeiro emblema para os jovens que se rebelavam contra a ortodoxia do Classicismo.Lendo também á obra mais atual de Lord Byron e também outros autores como Walter Scott e Jean Paul, escritor que Robert admirava ao ponto de em 1828, empreender uma peregrinação a Bayreuth para visitar o seu túmulo.
Em 1826, o seu pai faleceu, fato que Robert jamais superou por causa do enorme sofrimento da sua perda. Pouco depois viajou até Leipzig, a cidade de Johann Sebastian Bach, a fim de matricular-se na faculdade de Direito. Mais tarde em Heidelberg, retomou o estudo das leis, inscrevendo-se na cátedra de Justus Thibaut. Todavia, os verdadeiros ensinamentos deste grande filósofo começariam após o horário escolar, quando este se reunia com o aluno para lhe confessar que era a música a sua verdadeira paixão. O facto de ter conhecido a pianista Ignaz Moscheles e o fascínio por Niccoló Paganini acabaram por lhe determinar o destino.
 
Igreja Dom St. Marien
 

DEIN IS MEIN GANZES HERZ
(Fritz Löhner-Beda)

Dein ist mein ganzes Herz
Wo du nicht bist, kann ich nicht sein
So wie de Blume welkt
Wenn sie nicht küßt der Sonnenschein

Dein ist mein schönstes Lied
Weil est allein aus der Liebe erblüht
Sag mir noch einmal mein einzig Lieb
O sag noch einmal mir: ich hab’ dich lieb.

Wohin ich immer gehe
Ich fühle deine Nähe
Ich möchte deinen Atem trinken
Und betend dir zu füßen sinken

Dir, dir allein!
Wie wunderbar ist dein leuchtendes Haar
Träumschön und Sensuchtsbang
Ist dein stralender Blick
Hör ich der Stimme Klang
Ist es so wie Musik.

Tradução:

SÓ TEU É MEU CORAÇÃO
(Fritz Löhner-Beda)

Só teu é meu coração
Onde não estás, não posso estar
Assim como murcha a flor
Sem o teu beijo, se apaga o sol

Tua é a minha mais linda canção
Pois ela brota somente do amor
Diz-me mais uma vez, meu único amor,
Oh, diz-me mais uma vez: "te quero muito"

Onde quer que eu vá
Eu sinto tua presença
Eu quero beber do teu hálito
E rezar diante dos teus pés
A ti, somente a ti!
Quão maravilhosos são teus cabelos brilhosos
É um sonho lindo, saudoso
O teu olhar cativante
Ouço o som da tua voz
E soa como música.

6 comentários:

  1. Recibe mis mejores deseos para este cambio en el contador del segundo milenio, para este nuevo año que se nos cae encima.

    Saludos y un abrazo.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Ceiça!

    Já vi que chego atrasado, mas espero que ainda a tempo.
    Mudei de blog, que não me permite ver em directo as postagens de quem sigo, e tudo fica mais difícl...

    Bom Ano Novo, com tudo de bom para si.

    O poema é lindo, e diz bem da falta que todos sentimos da outra metade ... quando ela nos falta.

    Abraço amigo.
    Vitor

    ResponderExcluir
  3. Ainda bem que voltaste e com imagens tão bonitas. Senti a tua falta.
    Um 2011 muito feliz para o teu coração!
    beijos
    Graça

    ResponderExcluir
  4. Adorei as imagens bonitas bem como o texto e o poema traduzido em Portugues porque eu de Alemão não percebo nada.
    Beijos
    Santa Cruz

    ResponderExcluir
  5. Volta sempre Ceiça. Sinto a tua falta!

    Gostei do que apresentas - imagens e poesia.
    Volta sempre! Tenho um último poema "Ilha" e se
    relaciona com o Brasil, de onde voltei há pouco. Estive por lá bastante tempo e me ausentei de todos os amigos.

    Beijos,

    Mª. Luísa

    (só imagens não me seduz nada)

    ResponderExcluir
  6. Toda vez que leio esse poema fico emocionada, não me canso de lê-lo. O amor é realmente traduzido nessas poucas palavras. Que intensidade de sentimentos expõe quem o escreveu!
    Parabéns e muito obrigada!

    ResponderExcluir